Social Games: a nova plataforma de entretenimento

 

Com uma participação cada vez maior na indústria de jogos, os games online já representam um terço do mercado total de entretenimento no mundo.

Se por um lado essa plataforma existe a pouquíssimo tempo, comparada aos mais de 30 anos da existência de consoles de videogame e hoje alcança a representatividade de um terço do mercado de games total, os jogos onlines vêm cada vez mais conquistanto a maior fatia do bolo. Foram mais de 20 bilhões de dólares de faturamento em 2010 em jogos que, de uma maneira ou de outra, tem como principal plataforma os meios online.

Tal ascensão se dá, principalmente, não só pelo seu volume bruto, mas também  pela velocidade de adesão, que permitiu um acelerado crescimento em relação ao funcionamento interno da indústria de games online. Dinâmico como a internet na qual se sustenta, possuem inúmeras facetas, que vão desde os já tradicionais jogos para facebook até games sociais mobile multi-plataforma.

A tendência que virou fenômeno

Em 2009, fui questionado sobre qual seria a grande tendência para o mercado de jogos. A minha resposta, na época, foi a integração de jogos com redes sociais, o que posteriormente foi corroborada por uma invasão de cafés, máfias e fazendas virtuais que invadiram todas as plataformas de redes sociais.

A visão de que os games online iriam se integrar com redes sociais tem muito mais a ver com uma análise dos fatos do que uma previsão ou chute. Isso porque essa união veio da conseqüência óbvia de dois fatos inquestionáveis no mercado: que todos os games online de extremo sucesso são, no fundo, redes sociais especializadas e em quase todas as redes sociais – excluídas aquelas com temáticas específicas como música ou relacionamento profissional – os principais aplicativos utilizados eram formas rudimentares de jogos.

Com base nisso, todas as empresas desenvolvedoras de games descobriram que a capacidade de viralização, retenção e monetização de um jogo, quando potencializado por meio das redes sociais, se tornam algo infinitamente mais vantajoso do que os modelos tradicionais de implementação de games.

Deste modo, os games sociais são plataformas muito mais elaboradas do que as suas versões iniciais, que contavam com interfaces gráficas limitadas e jogabilidade rasa. Atualmente, contam com um planejamento de jogo (game design, na linguagem técnica), qualidade na execução e orçamento que não raro ultrapassam algumas versões de populares franquias de games para PC ou consoles.

Mas, afinal, o que mantém esse mercado vivo, crescente e evolutivo?

Os jogos sociais exploram um público chamado “Casual Gamer”, que não tem games como seu principal hobby e muitas vezes não se consideram jogadores. Este público não tem disposição para ficar horas a fio jogando um título de última geração para conseguir todos os trophies ou achievements (conquistas) de games que custam algo entre R$ 100,00 e R$ 300,00.

Em contrapartida, este público prefere jogos gratuitos que possam praticar em seus momentos livres, no escritório ou em casa, para que depois consigam alguma recompensa que possa ser compartilhada de modo fácil, como em suas redes sociais ou entre seus amigos.

A cada dia, esse modelo atrai milhões de jogadores todos os dias e acaba conseguindo, através do sistema de moedas virtuais, converter alguma parte deles (em geral 2%, aproximadamente) em usuários pagantes. Essa receita, aliada à soluções de in-game advertising é a principal fonte de receita de uma desenvolvedora de social games.

O grande público acima mencionado e a eliminação da necessidade de um publisher, além da relativa facilidade para se fazer e se começar a jogar, fazem dos sociais games uma porta de entrada popular para muitos desenvolvedores, anunciantes e jogadores.

Mitikazu Koga Lisboa é CEO da Hive Digital Media, maior desenvolvedora de games brasileira e líder no mercado de advergames no país. Seu currículo inclui passagens por grandes desenvolvedoras e publicadoras de games no mundo como Capcom, SNK, Real Games e SEGA. (twitter: @mitikazu)

Quer saber mais sobre o perfil do social gamer? Baixe gratuitamente o pdf “Social Gamer Profile” da Hive -http://bit.ly/ezSFW6

Portal HSM
11/02/2011

Assuntos relacionados

Tags: , , , ,

Comentários encerrados.